A comunicação não é mais online ou off-line; ela é all-line

Vivi nove anos na Europa, em Londres e em Lisboa, de 2006 a 2015. Estudei Gestão de Arte e Cultura e cocriei a Incubadora de Artistas em Portugal, entre 2010 e 2015. Em 2012, comecei a estudar a metodologia inbound marketing e a seguir criei o meu próprio método de trabalho associado às Relações Públicas – o Inbound PR. Atualmente estou ligada aos seguintes projetos:

o Inbound PR, metodologia que venho desenvolvendo com base no inbound marketing. É uma forma inovadora de fazer comunicação integrada, em que o marketing digital olha para as pessoas e as Relações Públicas olham para as vendas, que será o tema da minha palestra na Amarks.
o Todo Mundo Precisa de um RP, coletivo que tem como propósito acelerar o mercado de RP no Brasil, do qual sou sócia.
o RP School, uma escola de ensino complementar, que tem como objetivo ajudar as pessoas a se comunicarem melhor. Nela sou professora e também responsável pelo marketing digital.
o Junior Achievement, organização que tem mais de 100 anos e cuja missão é despertar o espírito empreendedor em jovens de todo o mundo. Sou membro do core do Alumni Brasil, um grupo de ex-participantes dos programas, há mais de 15 anos, e estamos responsáveis por contribuir com projetos para impactar 100 milhões de jovens através do empreendedorismo nos próximos anos.

Sobre os projetos:

Sou uma google girl, in a google world (a frase não é minha, mas é a que melhor me descreve!). Escolhi o mundo como casa e vivi durante nove anos fora do Brasil, entre Inglaterra e Portugal. Tenho uma fascinação gigantesca por conviver com culturas diferentes da minha, por criar projetos que fazem a diferença na vida das pessoas, sejam os meus próprios, sejam para os meus clientes.

Sempre estudei e li muito, em cursos ou por iniciativa própria. Fiz cursos de gestão de projeto (PMI), gestão de conhecimento, gestão de artes visuais, história da arte, entre outros, cursei mestrado em marketing no Brasil e, em 2014, comecei o mestrado em ciências humanas/ Estudos de Cultura em Portugal.

Sou formada em Relações Públicas, uma área da comunicação que deixou de ser uma profissão para se tornar uma mentalidade, já que a necessidade de utilizar estratégias de RP é transversal a qualquer profissão.

Em 2011, conheci um movimento chamado Todo Mundo Precisa de um RP, do qual me tornei sócia e, em 2012, e a seguir virou uma empresa – que preferimos chamar de coletivo de RPs. Meus sócios são Guilherme Alf, o fundador da Todo Mundo, Pedro Prochno, criador do principal blog de RP do Brasil e Amanda Takassiki, criadora da fanpage RP Brasil.

Recentemente, lançamos também a RP School, uma escola para todas as pessoas que querem se comunicar melhor neste contexto de revolução digital que estamos vivendo.

Nesse coletivo, colocamos em prática os ideais de cocriação e colaboração e o melhor exemplo do quanto isso funciona e existe mesmo é que durante o nosso primeiro ano trabalhando juntos e sequer tínhamos nos encontrado pessoalmente. Sem nunca termos nos visto, fundamos uma empresa, eles no Brasil e eu em Portugal, e criamos a maior semana dedicada a Relações Públicas no Brasil, a RP Week. No ano passado a RP Week teve a sua segunda edição e alcançou mais de 2 mil participantes.

Atuei nas indústrias de mídia, TI, mercado financeiro, arte e cultura. Até 2009, a minha experiência foi basicamente ligada a multinacionais, no Brasil e exterior, tanto na área de RP, quanto de jornalismo e publicidade nestas indústrias. Atuei como jornalista de marketing em grandes eventos como o Rock in Rio Lisboa e Cannes Lions na França, além de ter participado de eventos setoriais super importantes, como o World Communication Forum, em Davos, na Suíça.

Vivenciei muita assessoria de imprensa, comunicação interna, criação de políticas de comunicação, publicaffairs, interface com RH, logística, vendas e marketing, trabalhando diretamente ligada a diretores.

Queria estudar arte e cultura, aplicar o conhecimento de gestão e comunicação a uma área que eu entendo precisar muito, que é a arte. Fui viver em Londres, em 2006, e estudar gestão de arte e patrimônio, mas acabei me sentido mais em casa do que no Brasil. Vim ao Brasil passear, em 2009, e acabei sendo convidada para coordenar a 7ª Bienal de Artes

Visuais do Mercosul. Porém ainda tinha planos europeus e decidi retornar, então, para Portugal. Lá encontrei as condições também para abrir minha empresa e então fiquei de vez daquele lado do Atlântico, em 2010. Isso me deu uma visão mais ampla da comunicação e um entendimento de necessidades que eu gostaria de me dedicar, como é o caso das empresas em fase inicial ou dos artistas visuais. Cocriei a Incubadora de Artistas, um projeto de apoio para artistas emergentes entrarem no mercado formal de arte, que durou quatro anos. (aqui) E nessas circulações entre arte, mercado, marketing e comunicação, descobri, em 2012, a metodologia Inbound Marketing, ou marketing de atração.

Desde então, venho me dedicando a desenvolver projetos junto a clientes de diversos portes dispostos a explorar o marketing digital. Eles encontram na metodologia que chamo de Inbound PR uma forma de conectar seu propósito com mais resultados.

Atualmente as empresas, mais do que produtos, precisam conectar seus públicos com um propósito. Além disso, trabalhar a comunicação e o marketing precisa acontecer de forma all-line, ou seja, tanto on quanto off-line.

O Inbound PR é uma forma inovadora de fazer comunicação integrada, onde o marketing digital olha para as pessoas e as Relações Públicas olham para as vendas. Ao trabalhar a comunicação integrada de acordo com este método, as empresas não apenas educam, mas geram reputação e vendas muito melhores. Os resultados tem sido tão grandes que encerrei o trabalho como agência e passei a me dedicar à consultoria na empresa OtimificaInbound PR.

Prioridades para 2016

Pretendo lançar meu livro sobre Inbound PR e finalizar com sucesso cinco cases junto a clientes, que já estão em andamento, seguindo esta metodologia.

Expectativa sobre a participação como palestrante no Seminário da Amarks

É sempre sensacional poder estar em Caxias. Tenho clientes aí e o pessoal da UCS participa dos nossos eventos na Todo Mundo Precisa de um RP. Tenho as melhores expectativas sobre o evento, até porque ouvi a repercussão do ano passado e adorei os temas.

Recebi o convite em Lisboa eu comecei a trabalhar com uma empresa de Caxias, o Studio PliéPilates, da Michelle Brauner Blom e a Gabriela Manosso Bampi. Nós cuidamos da comunicação e das redes sociais delas, desde 2014 e em um dos projetos entrei em contato com o Ricardo Brisotto. Embora eu já tenha ido a Caxias algumas vezes, ainda não nos conhecemos pessoalmente, mas temos alguns amigos e colegas que respeitamos muito em comum. Ao ver o meu trabalho e o impacto que temos gerado, ele achou que eu poderia agregar valor ao evento. Espero mesmo que consiga e me sinto muito lisonjeada pelo convite – e pela sorte de estabelecer essas conexões.

Na palestra, vou falar sobre a conexão de marketing digital e RP,a metodologia inbound PR e como trabalhar a comunicação integrada neste contexto.

Para atuar em Marketing é preciso: atitude, resiliência e aprendizado constante.
Se não atuasse nessa área seria:professora primária

Rapidinhas:

O que te inspira? Conviver com pessoas inspiradoras

Principal projeto: Inbound PR

Conquistas: carreira global, propósito de vida claro e a possibilidade de trabalhar de onde estiver.

Quais os principais desafios que você enfrenta no dia a dia? Encontrar pessoas dispostas e qualificadas para tocar adiante todos os projetos ao meu lado e dos meus sócios.

Maior investimento que já fez: largar a carreira multinacional na Dell e ingressar numa carreira multicultural quando mudei para Londres.

Investimento que gostaria de fazer: projetos para empoderar jovens, especialmente órfãos, a mudar o seu destino.

Um país, e por quê: A Dinamarca. Lá entendi que a inteligência precisa de ambiente para se desenvolver. Tudo propicia a colaboração e uma vida mais tranquila e produtiva. Tudo funciona.

Uma boa lei: Aquela que corresponde à realidade e é cumprida por ser constantemente atualizada. Parte do fato para o papel e não o contrário. Uma utopia, tenho certeza.

Uma lei que gostaria de ver surgir: No Brasil? Um lei que fizesse todas as demais serem cumpridas. Outra utopia.

Uma lei que gostaria de ver cumprida: Não acredito que as leis mudam as coisas ou que cumpri-las faz a sociedade melhor. A mudança está nas pessoas.

Uma causa: integrar o mercado de comunicação e marketing digital no Brasil

Um sonho: férias no Tahiti

Um conselho: Faça análise e leia Lacan. Sempre.

Um prato: vários e apimentados.

Um hobby: ler

Um time: Internacional

Um livro: A Arte de Viajar, Alain de Botton

Um filme: Amélie

Uma personalidade: Madonna

O governo: é o povo e não da Dilma ou do PT ou quem quer que esteja lá. Nosso governo é o reflexo de um povo que reclama muito e faz muito pouco.

 

Imagem por William Nihues