Network : uma especialidade

Fazer network não é apenas trocar cartões de visitas, vai muito, muito além dessa prática.  Quem diz e orienta de forma simples, direta e objetiva é a jornalista Luciane Bemfica. Network é um dos conteúdos que ela aborda nos atendimentos individuais ou em grupos e nos workshops sobre personal brand, que é a especialidade da moça. "Um network inteligente é uma das soft skills que estudei recentemente em Lisboa. Aliás, lá eles estão muito à nossa frente no que se refere a ferramentas de desenvolvimento pessoal", revela Lu, gaúcha que depois de 21 anos trabalhando em empresas, deu uma virada de carreira para se dedicar ao personal branding e comunicação.

Aliás, a Luciane está com inscrições abertas para seu workshop Personal Brand on line. bota na agenda: será dia 10 de maio e as inscrições já estão abertas. Leia com atenção o que ela fala sobre o tema e já faz a tua inscrição no link http://bit.ly/2oz6dIa.

 

Negócio Feminino - Qual  a importância do network?

Luciane Bemfica - Eu chamo de network inteligente quando identificamos pessoas que imaginamos que sejam importantes para a nossa atividade profissional ou pessoal. A abordagem digital por meio de redes sociais, no caso de uma solicitação de contato pelo LinkedIn ou pelo messenger do Facebook, por exemplo, é mais eficaz quando o solicitante escreve uma mensagem personalizada justificando o contato, no caso de desconhecido. No Twitter e Instagram, por exemplo, comentar postagens de forma positiva mas não exaustiva é uma dica.
O network pode abrir boas oportunidades profissionais, e quando feito de maneira estratégica facilita o contato, sobretudo com pessoas distantes. 

NF - Muitos acreditam que é apenas uma troca de cartões. É verdade?

LB - É verdade! Vamos ser sinceros... Quem dá muita importância para um cartão, por mais elegante que seja, de uma pessoa que não conhece? Trocar cartões requer apresentação e conversa. Um pit, que seja. Apresentar-se corretamente, dizer primeiro quem é e depois o que faz, credenciais e currículo, etc, é primordial. Quem recebe nosso cartão precisa lembrar de nós. Se a pessoa conseguir, durante a conversa, mostrar interesse e mostrar-se interessante, será lembrado.

Quer fazer um teste simples? Pegue a sua caixinha de cartões recebidos e tente lembrar quem são as pessoas.

NF - Há regras específicas ou manter o contato seguidamente é fundamental?

LB - Depende do interesse pessoal ou profissional. As pessoas em geral, naturalmente, tendem a manter contato frequente com pessoas com quem se relacionam por necessidade ou afinidade. É necessário manter a rede de contatos, e isso se consegue fazer com mais facilidade por meio das redes sociais, no caso da network digital. Curtir, comentar e compartilhar conteúdo publicado por pessoas interessantes é uma boa maneira de manter contato. Na network pessoal, a participação em eventos é a maneira mais fácil de ver, ser visto e lembrado.

NF - Tu falas que um bom network é passar conhecimento sem pedir algo em troca. Como isso e possível?

LB - Dar antes de receber, na minha opinião, é uma fórmula para fazer uma network inteligente. Oferecer ajuda, dicas, oferecer contatos para quem precisa, sem que a outra tenha que pedir é, na maioria das vezes uma via de mão dupla. Um dia a pessoa que foi generosa pode precisar de ajuda, e certamente será ajudada. Estamos falando de generosidade, valor tão raro e surpreendente hoje em dia. As pessoas não esquecem quem um dia foi generosa em oferecer ajuda ou partilhar conhecimento sem pedir algo em troca. Quer network mais consistente?

NF - Em tempos de web, é possível criar uma rede de contatos apenas pela internet?

LB - Possível é, mas não pessoal e duradouro. Pessoas que conhecemos pessoalmente tendem a lembrar de nós pela emoção que despertamos nelas. Os laços são mais fortes. A rede digital é importante porque nos aproxima de pessoas importantes que estão em qualquer lugar do mundo. O melhor é cultivar redes pessoais e digitais em paralelo.

NF - Que dicas tu dá para um bom network?

LB - Além de todas essas que já citei, exercitar as boas relações sempre. Elogio, crítica construtiva, e contribuição são as minhas apostas. Há sites específicos para encontrar pessoas que têm os mesmos interesses profissionais, mas nada disso funciona sem exercitar essas boas relações.

NF - Nunca é tarde para começar?

LB - Nunca é tarde. Qualquer pessoa, em qualquer atividade profissional pode e deve fazer network. Pode começar mapeando primeiro atividades afins, depois pesquisando profissionais e fazendo contatos. Última dica: revise o português, e nada de gírias e emojis no primeiro contato.

Credenciais da Lu

•         Jornalista formada pela PUCRS
•         Certificação em Soft Skills & Marketing Pessoal pela Universidade de Lisboa
•         MBA em Negócios Digitais pela UniRitter Laureate Internacional Universities
•         Certificação em Personal Brand Strategist pela Creative Learn Institute
•         Personal Branding para pessoas físicas e empreendedores - Alessandra Garattoni
•         Introduction to Personal Branding pela University of Virginia (EUA)
•         Pesquisadora acadêmica e autora do artigo científico "Personal Branding e Carreiras de Sucesso"

 

Imagem por Luciane Valente