Planejamento profissional: já fez o seu?

Um novo ano se inicia e com ele as metas, os desafios, as inseguranças, o desejo de mudança, entre outros sentimentos que circulam entre vidas pessoal e profissional. E tem como ser diferente? Talvez não precise, mas que é necessário planejamento para se chegar onde se quer, isso não se tem dúvidas. No caso de não saber ainda para onde ir, o que quer fazer e quais suas aptidões, lamentamos informar, mas esse assunto rende muitas outras matérias. Nesta, falamos daqueles que querem traçar um caminho rumo ao seu objetivo – um ou vários.

Para obter resultados positivos na vida profissional, é necessário ter disposição para um exercício contínuo de autoconhecimento. Na visão da consultora de carreira da Produtive, Roberta Folgiarini, o motivo é bem simples: "Tudo é planejamento. A roupa que vamos usar, o trajeto para o trabalho, o que compramos no supermercado, as férias. Com a vida profissional não é diferente”. Para ela, o problema acontece quando as pessoas não param para refletir sobre o que realmente buscam.

Acertar na escolha às vezes é menos importante do que traçar o caminho para chegar nela. Para isso, é preciso planejar, e isso dá trabalho, sim. Por outro lado, quanto mais a trajetória estiver coerente com os propósitos de vida, melhor é o retorno – e mais leve é o caminho para tê-lo. “O objetivo de traçar um plano profissional é poder programar ações na busca dos resultados desejados. Assim, se pode superar dificuldades e aprimorar competências comportamentais e técnicas”, defende Roberta.

Ao encontro disso, a especialista em Desenvolvimento Humano, Lari Moraes, defende que um planejamento bem elaborado aumenta o rendimento e os resultados de pessoas e empresas em, no mínimo, 30%, comparando aos que não tem (podendo chegar a mais de 100%). “Fica mais fácil conquistar o sucesso quando sabe-se onde quer chegar”, resume Lari.

Como fazer isso?

Ok, a cosnciência sobre o planejamento já existe, agora, é hora de arregaçar as mangas e dar alguns passos para tirar do papel – do computador, da cabeça, do celular, do quadro, do bloco de anotações, ou qualquer outra ferramenta de preferência. Para Roberta, a reflexão de fazer o que se gosta é o ponto de partida de todo planejamento de carreira. Depois, disso, é importante avaliar pontos de aperfeiçoamento e definir o que fazer para melhorar, como fazer e quando fazer.  “E se essa reflexão não fluir naturalmente é indicado procurar um profissional capacitado para apoiá-lo”, orienta a consultora. Aquilo que não é gerenciado não é possível controlar. Dito isso, Lari dá uma conselho: “Toda pessoa ou empresa que queira se destacar deve ter uma boa agenda, um bom cronograma. Isso proporciona controle sobre a situação e sobre os projetos”.

Pode ser interessante pensar em alguns aspectos como analisar quais das metas não realizadas devem seguir no planejamento; definir objetivos e deixá-los visíveis; ser objetivo nos planos; estabelecer procedimentos práticos e possíveis, deixando um pouco de lado aqueles sonhos mais inatingíveis. Também é bom lembrar de separar questões pessoais das profissionais, saber que nem tudo depende apenas de você; ter calma para buscar uma meta de cada vez; além de estabelecer prazos, comemorar o que for conquistado – mesmo que pareça bobo, e revisar o planejamento de tempos em tempos.

Pés no chão

É possível que algo dê errado? É possível, é provável e, às vezes, é até necessário. O que não precisa é se desesperar, se sentir fracassado ou algo similar. É sempre essencial manter os pés no chão e saber lidar com serenidade com aquilo que não der certo. Roberta concorda é, para evitar isso, pode-se estabelecer metas possíveis dentro de uma rotina, pois “não adianta planejar um novo curso que necessita disponibilidade de três noites na semana, sendo que sua rotina inviabiliza isso no momento”.

Encerrar o dia com a sensação de improdutividade não ajuda, na visão da consultora. “É necessário avaliar as prioridades e rever a rotina. A organização dela auxilia a diminuir a ansiedade”, ensina. Então, na hora de planejar, considera a palavra paciência como uma das principais, pois os bons resultados serão consequência de esforço, mas também de perseverança, ou seja, um degrau de cada vez.


6 dicas para começar o seu planejamento, de acordo com Lari Moraes.

1) Descubra qual sua real motivação, o que te faz vibrar, descubra sua missão! Assim conseguirá orientar as próximas etapas de forma mais adequada e com clareza;

2) Faça uma lista de pontos fortes e pontos a serem melhorados. Isso é autoconhecimento e ajuda muito na hora de decidir que passo dar primeiro, o que te ajuda ou atrapalha na busca dos sonhos. Seja franco com você;

3) defina seus objetivos! Chamo isso de lista dos sonhos. Escreva todos em uma folha, depois separe por por áreas da vida e divida em curto, médio e longo prazo.

4) crie um cronograma para cada objetivo. Defina prazos, pessoas responsáveis por te ajudar, recursos necessários, etc;

5) criado o cronograma, crie um mecanismo que te ajudem a lembrar de realizar uma determinada tarefa ou revisar o andamento das atividades de um modo geral. Lembre-se: é necessário medir, acompanhar o que está realizando!

6) se algo não estiver a contento, considere mudar a estratégia, o prazo ou, mesmo o objetivo! Lembra que o planejamento é algo dinâmico?
Registre toda evolução, conquista, tudo que der certo! Comemore!