Caroline escreve mensalmente, sempre nas terças-feiras.
Apesar das desculpas

“Quem quer, faz. Quem não quer, arruma uma desculpa.”

Fico impressionada com a quantidade de justificativas que uma pessoa pode encontrar para explicar as situações nas quais ela se encontra. É o chefe que não entendeu o trabalho e solicitou que fosse refeito, é a crise do país que fez você perder o seu emprego, é a tarefa que não foi entregue no tempo porque precisava de um retorno que não veio, é a empresa que não entende o seu potencial e promove outro, e por aí vai. Posso seguir uma lista interminável de desculpas, para não falar as “master top” delas: “Não tenho tempo” e “Não tenho dinheiro”. É incrível a capacidade das pessoas de buscar, como denominou John Maxwell, a “desculpite”. Para essas pessoas, aquelas que conseguem algo são as que têm sorte, enquanto elas próprias, obviamente, sofrem de azar. São os mártires e os perseguidos da história.

A todo momento, somos submetidos a novas experiências e obtemos novos aprendizados. O quanto você verdadeiramente aprende com elas a ponto de não repetir experiências ruins e elevar o seu desenvolvimento é a questão chave. Estamos tão centrados no que o outro vai pensar e na imagem que vamos passar que só pensamos nas desculpas e justificativas para aquela situação. Com isso, não aprendemos. Aliás, são poucos os que aprendem com as experiências. O resultado é que, de tempos em tempos, repetimos as mesmas situações e acabamos por nos perguntar: “Por que comigo?”

Por que com você? Ora, será que, ao enxergar tudo como impossível e ainda se colocando à margem das situações, vendo tudo como um problema, culpando a todos pela sua realidade, você ainda merece algo diferente e de grande redenção? Este posto está reservado àqueles que assumem a responsabilidade pelas suas vidas, que encaram as adversidades e batem no peito, dizendo: “A culpa foi minha. O que posso fazer diferente hoje para mudar o amanhã?” A você que só se desculpa, sinto muito, mas só terá a repetição das mesmas experiências.

Toda vez que você arruma uma desculpa e não assume a responsabilidade pelos seus atos e pela sua realidade você empurra a concretização dos seus sonhos para não sei quanto tempo mais. Assuma o controle sobre o seu comportamento e mude a história da sua vida. Tenho a certeza que você é maior do que essa desculpa que está contando para si próprio agora. Isso não é fácil – aliás, esta não seria nem a palavra a ser utilizada. Dói? Com certeza, mas, afinal, se fosse mesmo fácil, não existiriam tantas pessoas optando pelo caminho da justificativa. O que eu sei é isso: se você realmente quiser sair da situação ao qual se encontra, você vai conseguir chegar onde sua mente planeja.

Pare de arranjar desculpas e de se esconder atrás delas. Aceite onde você está e as situações que atraiu para si e assuma a responsabilidade de chegar aonde precisa chegar. Não importa o que e como aconteceu, mas sim o que você aprendeu com isso e o que vai fazer a respeito hoje. Não deixe que o hábito de achar explicações e desculpas para os seus insucessos tome as rédeas da sua vida. Controle o pensamento de, ao ler esse texto, encontrar um desculpa para amenizar a dor de enquadrar-se no que estou escrevendo. Seja mais forte do que isso. Respire fundo e fale para si mesmo: “Sim, isso é minha culpa e, quando se quer, não existem obstáculos.”

Resista ao hábito de encontrar argumentos racionais para encobrir o que realmente acontece. Quanto mais você se concentra nas desculpas, mais delega a responsabilidade pela sua vida. A partir desse padrão, vê a vida andar para trás, ao invés de seguir em frente. Enfrente as suas dificuldades, confronte-se e coloque-se em ação.