Aldrey escreve a cada 15 dias, sempre nas quartas-feiras.
O dólar vai subir em 2016?

O dólar vai subir em 2016? Vai chegar a R$ 5,00? Quando devo comprar?

Desde que o ano iniciou essas são as perguntas mais frequentes, diante do cenário econômico que estamos vivendo.

O dólar vai subir mais?  Não existe exatidão na resposta dessa pergunta, impossível prevermos os caminhos concretos do câmbio. Conseguimos apenas, de acordo com o mercado, percebermos a tendência dentro de um lapso temporal.

De acordo com o relatório da FOCUS em 15/01/2016, o qual foi divulgado pelo Banco Central, as instituições financeiras que foram pesquisadas acreditam no dólar americano chegando em R$ 4,25.

Alguns analistas do mercado já mencionaram em R$ 5,00.

Em 21/01/2016 o dólar teve sua maior alta desde a criação do Plano Real em 1994, chegou ao valor de R$ 4,16; já no dia seguinte tivemos uma queda de -1,32% e a moeda fechou a R$ 4,11.

Impossível uma previsão 100% correta, dependemos de muitos fatores internos  ligados a nossa política e economia, bem como fatores externos, a exemplo da China que após ter uma desaceleração forte impactou  as exportações brasileiras ( a China é o principal parceiro comercial do Brasil).

A cotação do dólar é definida através de vários aspectos, como por exemplo, investimento estrangeiro no país e balança comercial. Quando existe um excesso de dólar na economia brasileira, o dólar tende a cair. Quando temos pouca oferta de dólar no mercado interno ele tende a subir; juros muito baixos e inflação muito alta afastam investidores estrangeiros elevando a cotação.

Acredito que os nossos juros devam subir um pouco no decorrer de 2016 e com isso atrairia investidores estrangeiros.

E sobre a elevação dos juros americanos? O FED, Banco Central Americano, anunciou a alta dos juros por lá, porém essa medida ocorrerá de forma gradual e numa proporção menor do que muitos imaginavam, dessa forma teremos a saída de dólares do nosso país, mas não de uma maneira tão rápida.

Quando efetuar a compra da moeda estrangeira? Sugiro sempre conversar com seu assessor de câmbio e realizar o monitoramento  para que a compra seja realizada em um dia de queda.