Caroline escreve mensalmente, sempre nas terças-feiras.
A dor do

Aprender a dizer “não” ajuda a manter em equilíbrio a saúde e o emocional.

A palavra “não”, apesar de simples e pequena, é repleta de muitos significados e poderes. Em meus atendimentos como coach na área de liderança, tenho percebido que dizer “não” é uma dificuldade recorrente, e que atinge muitas pessoas.

A utilização do “não” nas diversas situações do cotidiano, seja no ambiente profissional ou pessoal, exige, em primeiro lugar, coerência consigo mesmo e seus valores e, em segundo lugar, alta autoestima.

A dificuldade de assumir o que se pensa pode estar atrelada ao medo. O medo da rejeição – que se manifesta de diversas formas, como o receio de ser mal compreendido, de ser criticado, de não agradar, de não ser insubstituível, apenas para citar alguns – é o que faz muitas pessoas colocarem a opinião e o desejo dos outros acima dos seus e, com isso, colecionar situações que não as agradam. Ao tomar essa atitude, não percebem o mal que estão fazendo a si próprias.

Ao “engolir sapos” sem critério e não colocar limites às solicitações dos outros, as pessoas acabam por contribuir com a sua própria baixo autoestima. Nós não sabemos qual é o nosso limite a não ser que informemos que este limite chegou. Não deixe seu medo falar mais alto fazendo mal a si próprio. Ao concordar com o outro “só da boca pra fora”, você se destrói por dentro, abrindo mão de suas vontades e tendendo a achar que o problema do outro é sempre mais importante. Seja mais flexível e menos autocrítico, pois ninguém consegue agradar a todo mundo o tempo todo.

Todos já tivemos alguma experiência com alguém que costuma se posicionar de forma a dizer “amém” para tudo. Essas pessoas não têm opinião própria, vão conforme a maré e são capazes de ter pontos de vista diferentes sobre o mesmo assunto apenas para não desagradar ao grupo em que estão, certo? Agora eu pergunto: você gosta dessa pessoa? Ela traz boas lembranças? Você a admira? Ela conquistou ou teve acesso a mais oportunidades devido a essa postura?

A verdade é que ninguém gosta de quem só diz “sim”. O “não” pode e deve ocorrer, e em virtude disso você acaba sendo admirado pelo outro. Não se trata de tudo ou nada, de sim ou não, de preto no branco. Ninguém vai riscá-lo do mapa por se negar a fazer alguma coisa ou discordar.

Algumas pessoas precisam entender que tudo na vida tem limite, então por que não começar agora a exercitar o seu? Pare de sofrer calado. Exercite o seu direito ao “não” e deixe o seu dia mais leve.