Caroline escreve mensalmente, sempre nas terças-feiras.
A certeza da incerteza

Adoro ler. Quem me conhece sabe que sempre levo um livro comigo, para aquelas ocasiões do dia em que sobram alguns minutos. Assim, aproveito para exercitar um dos meus hobbies prediletos. Minha preferência é por livros técnicos, porém, às vezes, busco intercalar essas leituras com algum romance ou biografia, mas apenas ocasionalmente, pois minha verdadeira paixão é por conhecimento.

No último final de semana, aproveitei para ir ao meu sítio, uma vez que fazia uns 30 dias que não aparecia por lá. Junto à mala, separei livros e revistas para um final de semana de frio, lareira, vinho e muita leitura. À medida que comecei a ler sobre diversos assuntos do meu interesse, como autoliderança e liderança, acabei reativando uma dúvida, presente em todos os meus anos como publicitária e que continua a pulsar em minha atual carreira como coach e palestrante: como acompanhar os inúmeros estudos, inovações, pesquisas e dados, sobre comportamento, relacionamento, enfim, as incontáveis influências, teorias e práticas que dia após dia modificam as relações e o comportamento? É impossível para qualquer profissional ser completo em todas as áreas. É muito conteúdo e são inúmeras as variáveis. De certa forma, é frustrante saber que você nunca vai saber o suficiente e que, na verdade, o que você domina é uma pequena parte de um todo muito maior.

Nesse momento, eis que o Zé, meu marido, lê em voz alta um trecho do livro do Bauman, “Vida Líquida”, que já na introdução traz exatamente esse anseio que sinto e que acredito ser um sentimento compartilhado:

"Numa sociedade líquido-moderna, as realizações individuais não podem solidificar-se em posses permanentes porque, em um piscar de olhos, os ativos se transformam em passivos, e as capacidades, em incapacidades. As condições de ação e as estratégias de reação envelhecem rapidamente e se tornam obsoletas antes de os atores terem uma chance de aprendê-las efetivamente.

Por essa razão, aprender com a experiência a fim de se basear em estratégias e movimentos táticos empregados com sucesso no passado é pouco recomendável: testes anteriores não podem dar conta das rápidas e quase sempre imprevistas (talvez imprevisíveis) mudanças e circunstâncias. Prever tendências futuras a partir de eventos passados torna-se cada dia mais arriscado e, frequentemente, enganoso. É cada vez mais difícil fazer cálculos exatos, uma vez que os prognósticos seguros são inimagináveis: a maioria das variáveis das equações (se não todas) é desconhecida, e nenhuma estimativa de suas possíveis tendências podem ser consideradas plenas e verdadeiramente confiáveis.

Em suma: a vida líquida é uma vida precária, vivida em condições de incerteza constante."

No final das contas, a única certeza é a incerteza. Entender isso nos ajuda a atenuar nossos anseios cotidianos e a nossa busca incessante. Nunca saberei tudo, nem controlarei tudo. Compreender isso certamente é uma das maiores dificuldades de cada pessoa. Trabalhar a autoliderança, equilibrando o emocional, o mental e o espiritual é um passo para entender que, em um mundo de incertezas, ter a certeza das suas capacidades é o caminho para amenizar as ansiedades cotidianas.