Aldrey escreve a cada 15 dias, sempre nas quartas-feiras.
Início da educação financeira poderá ser com a maternidade?

Há algumas semanas fui convidada pelo blog Fralda Cheia a dar uma entrevista sobre o impacto do dólar nos produtos infantis, uma vez que alguns são importados ou possuem algum item que é cotado na moeda estrangeira elevando o valor final, e, dicas sobre como economizar.

Dessa forma, veio o questionamento: será que na maternidade poderá ser o início de uma reeducação financeira?  Acredito que sim.  Quando temos consciência que nossos gastos mensais irão aumentar devemos traçar um novo planejamento e uma boa estratégia.

Sabemos que o aumento do dólar está impactando a nossa economia e que os itens essenciais para as crianças como fraldas, pomadas, roupas e outros, são difíceis de serem cortadas, então vamos pelo início:

1) Realizar pesquisas pela internet, ou até quando passar em frente a uma Farmácia para ver se algum item indispensável está em promoção. As vezes quando compramos em grandes quantidades conseguimos um desconto a mais, então por que não juntarmos as amigas grávidas e realizar uma única compra com um preço muito mais atrativo.

2) Usar a tecnologia ao nosso favor: Grupos no aplicativo Whats App formados entre mães da escolinha e amigas para informar uma promoção de fraldas em determinado lugar.

3) Criança cresce rapidinho né! Então, um “brechó online” no facebook pode ser uma maneira econômica de comprar uma roupinha  e ainda conhecer pessoas que poderão lhe dar super dicas.

4) Chá de Fraldas? Sim! Fazer chá de fraldas é super tradicional e necessário. E, hoje, os papais estão super participativos e estão organizando o “Churras de fraldas”, onde os amigos levam um pacote de fraldas, jogam futebol, fazem churrasco, tomam cerveja e discutem sobre o Grenal.  E, com essa ideia podemos fazer vários “eventos” para ganhar esse presentinho tão importante. Um casal de amigos fez isso e ficaram um ano sem comprar um pacote de fraldas para a bebê! Tenho um colega de treino que está “grávido” e vamos organizar para ele um “ Triathlon de Fraldas”...

5) O enxoval? Muitos optam por realizar as primeiras compras nos Estados Unidos. Mesmo com a alta do dólar ainda vale a pena realizar compras lá fora se conseguir uma promoção de passagens aéreas. Para quem não quer ir tão longe, temos a opção das nossas fronteiras como Uruguai e Argentina.

6) Fazer uma planilha financeira simples para ver de forma clara seus gastos atuais e calcular se será necessário “enxugar” de algum setor com o aumento da família, poderá ser uma estratégia interessante. Fazer uma projeção de futuros gastos é importante para não ter nenhum susto negativo depois.

7) Quando meu afilhado nasceu eu coloquei ele em Clube de Investimentos e a ideia era de a cada data como dia das crianças, Natal, aniversário  eu e o Dindo irmos depositando um pouquinho.  Outra forma, seria procurar o seu banco para ver se tem algum investimento a longo prazo com um rendimento aceitável com pequenos aportes. Fazer uma poupança para a criança é uma forma consciente de ter um valor  para alguma emergência, ou  garantia de sua futura educação escolar.

8) Educação financeira também é assunto de criança! Sempre digo que precisávamos ter  essa matéria no colégio. Qual o melhor momento de explicar para os pequenos que não há dinheiro para comprar tudo o que eles querem? Uma amiga psicóloga me disse que assim que a criança começa a falar já  podemos explicar para ela  que tal item é caro e não temos como adquirir. Ela contou-me  que seu irmão diz que papai e mamãe teriam que trabalhar  muito muito muito mais para comprar. Crianças entendem o que falamos.

9) Outra dica para os pequenos  que estão com 4 ou 5 anos de idade é dar um porquinho e mostrar que eles podem guardar moedinhas para comprar algo especial, ou, quando a criança quiser muito um brinquedo dizer que irá custar X moedinhas do cofrinho.

Todas as ideias e fatos mencionados nesse artigo são de experiências vividas com amigas e clientes minhas, não sei ainda o que é viver esse momento, mas assim como em qualquer fase de nossas vidas precisamos de planejamento e curtir só a parte boa sem sustos financeiros.