Cris escreve todas as sextas-feiras.
Mentiras sinceras não me interessam

É para pensar, sim! Estava tomando um café com umas amigas, e uma comentou sobre o livro O Efeito Sombra, que explora uma teoria científica segundo a qual tudo que percebemos nos outros e todas as projeções que fazemos provêm de nós mesmos, do tipo de educação que tivemos e do modelo de sociedade em que vivemos.

No meio do bate-papo, uma delas falou: “Tá bom, mas sabe aquele trecho de uma música do Cazuza, mentiras sinceras me interessam, eu concordo”. A outra respondeu: “Não mais para mim”. Nesse momento houve um silêncio, nos demos conta de que mentiras sinceras não nos interessam, porque mentira sincera é o antagonismo puro daquilo que é e não é verdadeiro.

Mentiras que amenizam a dor, que nos fazem passar a mão na cabeça de alguém que errou, que nos fazem parecer algo que não somos para agradar o outro – não nos interessam mais. Afinal, onde fica a clareza, a luz, a proeza de ser real? Fica escondida atrás da sombra, dos lamentos, da falta de caráter.

Esconder-se é a pior escolha. Temos que aceitar nossos defeitos e ver que deles podemos tirar proveito. Eles nos ensinam muito sobre quem somos e são a alavanca para a mudança. Afinal, como poderíamos conhecer a luz se não tivéssemos a escuridão?

O mundo é feito de escolhas, e que tal optarmos pelas escolhas sinceras? Sinceras com a gente, com nossos amigos, com nossa família, com nosso meio. A verdade deve reinar absoluta. É claro que ela pode ser dita de inúmeras formas, para não magoar o outro, e o nome disso é indulgência. Tudo depende da personalidade que queremos firmar em nossas vidas.

Mentiras sinceras não me interessam, verdades, sim, clareza, sim, discernimento, sim! Que tal parar nesse momento e pensar em nós, na vida que levamos. Se tiver algo que nos machuque demais, vamos escolher dizer CHEGA e virar a chave, virar o jogo, aceitar que não somos perfeitos e seguir adiante. Perdoar não é fácil, e o primeiro passo, que é aceitar, vem antes.

Quando aceitamos, entramos no caminho do perdão. Percebemos que o mundo a nossa volta gira sem que façamos nenhum esforço, e por consequência nossa vida não irá ficar estagnada, a não ser que queiramos nadar contra a maré. Vamos deixar o curso do rio fluir e a vida acontecer naturalmente. Vamos deixar que o dia e a noite se apresentem para aproveitar a luz do sol e o brilho das estrelas.

A verdade é a nossa luz, e ela está em toda parte, em todo lugar, basta olharmos com mais cuidado, com mais amor por nós mesmos, para o mundo, para nossos irmãos de caminhada! SINCERIDADE me interessa e muito. Vou deixar ela vir para mim, mesmo que seja de mansinho, vou deixar ela entrar – sem dar espaço para as mentiras.

É imprescindível ter claro em nossas mentes que só o amor é capaz disso. Então vamos nos amar com todas as forças e com coragem, pois só os corajosos conseguem amar de verdade! Eu estou aqui para te fazer um convite. Te entrega à luz da vida, à verdade esquecida, à claridade perdida. O rumo é aquele mesmo, que deixamos ao longe, quando escolhemos nos esconder atrás de nossa sombra. Agora é só voltar e seguir pelo caminho de pedras douradas, não tem erro.