Tássia escreve a cada 15 dias, sempre nas sextas-feiras.
Pensar diferente é ok. Tratar diferente por isso, não.

Estamos vivendo tempos difíceis. Nosso mundo evoluiu em tanta coisa, mas regrediu em outras tantas. Temos as mais avançadas tecnologias para nos beneficiar em praticamente todas as áreas. É na comunicação, no transporte, na energia, na agricultura, na saúde, etc. Ah, e como a ciência tem ajudado no progresso da humanidade. Graças a ela podemos nos comunicar com quem mora muito longe, enxergando a pessoa em tempo real e sem pagar a ligação. Podemos gerar energia eólica e solar, e o meio ambiente agradece. Podemos tratar e curar doenças antes impensadas.

Tudo ficou mais fácil. Tudo tende a ser mais sustentável também, afinal, construímos e criamos sem pensar nos estragos que estávamos fazendo e agora precisamos arrumar a bagunça. Mas e o comportamento humano, será que evoluiu da mesma forma? Não é o que parece.

É claro que não estou generalizando. Sei que há muita gente boa por aí, e é nessa gente que boto fé, mas, ao mesmo tempo, as más notícias não param de nos afetar, pois aumentaram consideravelmente. É assalto todo dia, com violência gratuita. São menores de idade com uma faca ou um revólver na mão que, se presos, no outro dia estão soltos cometendo novas atrocidades. Nem vou falar de Direitos Humanos (melhor não debater isso por aqui). O problema é que é muita maldade. Mas não quero ir tão longe. Não neste texto. Quero falar da ira que tem tomado conta das pessoas em relação às diferentes ideologias. Estamos polarizados e, com isso, estamos retrocedendo. Nem parece que a maioria de nós quer a mesma coisa.

Queremos o fim da violência, do racismo, da homofobia, da criminalidade, da corrupção, etc. Ao menos, acredito nisso. “Conquistamos” o direito à liberdade de expressão, ainda mais com o empurrãozinho da internet, mas essa tal liberdade virou palco para a agressividade. Não somos tolos, sabemos que desde o princípio todos os conflitos da história foram gerados por discórdias, mas precisamos regredir tanto? Precisamos ver amigos, colegas de trabalho e de faculdade e familiares se ofendendo em redes sociais ou mal se falando por conta disso? Tenho acompanhado casos de amizades desfeitas, brigas na família e no trabalho, galera se excluindo do Facebook. Oi? Para tudo. Você está fazendo isso errado. Você vive em uma democracia. E isso significa que podemos ter opiniões políticas e sociais divergentes.

Você pode ser “petralha” ou “coxinha”. Você pode crer em “impeachment” ou “golpe”. Sua ideologia está de acordo com os seus conhecimentos e vivências. E isso está ok. Sendo assim, é importante que você saiba cuidar da maneira como expõe seu posicionamento para quem não pensa como você pelo bem da vida em sociedade. Vale mesmo a pena acabar uma amizade por discordar? O que você ganha com isso? Em se tratando de trabalho, você deve saber que seu comportamento pode respingar na vida profissional.

Se você discute ferrenhamente com o colega que discorda de você, acaba por passar uma imagem de radical, que não sabe dialogar, não respeita a opinião do outro. Ou seja, discuta política, mas com cautela. Não levante a voz para impor sua opinião, não olhe com indignação para o colega como se ele fosse um ignorante por não compartilhar da mesma visão que você, não ofenda (óbvio!), não se julgue o dono da razão e superior intelectualmente. Se alguém que pensa diferente de você está falando em um grupo próximo ou postando sem parar sua indignação em redes sociais, te dou um conselho: não se intrometa se não for chamado. Isso é feio, deselegante e inconveniente. E a melhor de todas as dicas é: não tente mudar a opinião do outro. Gandhi já dizia: “Divergência de opinião jamais deve ser motivo para hostilidade”.