Aldrey escreve a cada 15 dias, sempre nas quartas-feiras.
É possível conciliar atividade física e alimentação saudável na rotina diária?

Em meados de outubro de 2013 conversando com dois amigos sobre a correria do trabalho, estresse e a necessidade de desopilar, eles conseguiram me convencer que eu seria capaz de fazer o triátlon: nadar, pedalar e correr.

Após pensar por alguns dias marquei uma reunião com o triatleta Frank Silvestrin e entrei na equipe para começar os treinos. O meu coach Thiago Bicca faz a minha planilha de treino, a qual tem atividade nos sete dias da semana e acompanha todo o meu desempenho, além de ficar quase louco com os meus horários.

No início não foi fácil adicionar o triátlon na minha vida, além dos compromissos com a empresa, eu também tenho meus plantões no funcionalismo público e tentar organizar os dois trabalhos, quatro esportes – além do triátlon é necessário acrescentar a musculação para realizar o reforço muscular e com isso evitar futuras lesões -, escrever os artigos, ter vida pessoal e social,  ir ao mercado... E, cuidar para que o esporte não prejudicasse a minha saúde financeira. Decidi que não seria impossível e que eu iria sim me superar, era só me organizar.

Na equipe menos de 10% são mulheres e todas possuem atividades intensas em seus trabalhos. Uma  das triatletas é executiva, tem dois filhos pequenos, viaja muito a trabalho e tem uma super disposição para treinar e conciliar seus treinos com as atividades das crianças, no último domingo após correr a Maratona de Porto Alegre (42KM)  ainda teve fôlego para levar seus filhos para a festa junina da escola – um ótimo exemplo para todas nós!

Iniciei nadando e correndo, até que em fevereiro de 2014 ao invés de comprar um sofá para a sala escolhi comprar a bike. Dessa maneira, entrei definitivamente para o triátlon e de forma organizada com a mente, tempo e dinheiro.

Consigo treinar antes e após o expediente, mas não com a frequência que gostaria. Mantenho meus compromissos, reuniões e estudos em dia.  Tudo é questão de organização e  em meio a essa vida corrida veio a necessidade de uma alimentação saudável.

Eu sou uma pessoa que como muito e eu era totalmente desregrada,  a alimentação saudável aconteceu de forma natural, quando você faz atividade física intensa o seu corpo passa a rejeitar alguns alimentos que antes eram apetitosos. Busquei a expertise de uma nutricionista, além de dicas de comidinhas praticas e saudáveis com meus colegas de treino.

O meu Nescau de todas as manhãs por quase  33 anos foi trocado por uma deliciosa tapioca com banana, aveia e mel  e um suco de uva ou água de coco, a bolachinha por barra de proteína, o chocolate passou do ao leite para 70% cacau,  frutas e o meu prato no almoço parou de ser opaco e começou a ser mais colorido.

Como uma boa italiana não abro mão de um bom vinho à noite e também continuo indo a eventos, festas e viajando. Mas, agora, de uma forma mais saudável, com mais qualidade de vida.
Quando se tem vontade é possível acordar às 6h da manhã na segunda-feira para correr, depois trabalhar o dia todo bem arrumada, fazer uma reunião, ficar feliz por ter tido um dia produtivo, desligar o computador, ir nadar e depois sair para jantar com o namorado.

Não sou uma super mulher, somente me organizo, faço o que gosto, tenho uma alimentação mais saudável e como meu amigo Franck Rebello publicou uma vez  no facebook: “Vencer é superar alguém. Vitória é superar a si mesmo”.

Eu prefiro me sentir vitoriosa, e você?