Tássia escreve a cada 15 dias, sempre nas sextas-feiras.
Posso tomar 5 minutinhos da sua atenção?

Uma das palavras mais repetidas dentro das empresas desde sempre é “produtividade”. Entregar mais em menos tempo, manter ou aumentar a qualidade, respeitar os prazos e, ainda por cima, inovar. A cobrança em torno dessa palavra de ordem é rotina. Por isso, diariamente, diversas perguntas ficam martelando em sua cabeçinha superlotada e à beira de uma pane. “Mas, chefia, como ser produtiva em um cenário no qual as demandas diárias não param de crescer?” Como manter a produtividade sem saber o que é prioridade em meio a uma rotina na qual tudo é urgente?”. 

Os emails não param de chegar. Apertar o botão enviar/receber do Outlook é o legítimo pesadelo dos tempos modernos. A cada vez que você clica no bendito botão, uma chuva de novos emails cai na sua caixa de entrada com novas solicitações de clientes, superiores e colegas. Que bom se bastasse apenas ler o email e descartá-lo, o problema é cada mensagem exige uma nova tarefa na sua pauta do dia que precisa ser resolvida imediatamente e que demanda tempo – esse velho senhor tão frequentemente esquecido pelos gestores. E, é claro, que a maioria dessas tarefas não estava prevista no seu dia. Mas quem liga para os imprevistos, não é? Esses amáveis emails não estavam no seu fluxo diário de atividades e acabam de furar toda seu planejamento. Fuén fuén fuén. Encaixa ali, aperta aqui, e lá se vai a qualidade. Além desses emails, podemos incluir nessa conta as ligações inesperadas. Ou pior, aquelas reuniões que acontecem do nada e que te tiram da sua mesa por um tempo que varia de 30 minutos até três horas. Pré-agendamento consultando sua disponibilidade para quê, né? Você pensa que é quem? A ordem é: seja produtivo, mas esteja sempre disponível. Dizem que milagres existem. Oremos.

Quando você pensa que vai sentar na sua mesa para enfim focar no seu trabalho principal, o que acontece? Um colega chama perguntando se você pode ajudar ele numa coisinha aqui e outra ali, uma visita surpresa de um ex-funcionário, a luz falta, a internet cai. Eita!

Pois bem, você luta todas as semanas por um mínimo de concentração. Silêncio virou artigo de luxo. Muitas vezes você precisa ficar além do horário de trabalho ou chegar mais cedo para conseguir se concentrar nas suas tarefas essenciais e dar conta de tudo que você precisa entregar. Será essa a única saída para ser o funcionário exemplar, produtivo e inovador que seu chefe espera que você seja? Mas qual seria a solução afinal?

Algumas empresas já estão reservando momentos para interrupções. Sim, eu sei que parece insano, mas creio eu que seja menos insano do que ser interrompido de 5 em 5 minutos. Talvez não precisemos ser tão radicais, talvez a gente apenas deva colar na testa um post-it gigante com os mesmos dizeres que antes ocupavam a maçaneta da porta do nosso quarto de “Não perturbe”. Quem sabe assim seu colega pensasse duas vezes antes de interromper ou seu chefe não mandasse tantos emails urgentes e te chamasse para tantas reuniões. Tá, isso foi radical também, eu sei.

Estou ironizando apenas pra dizer uma coisa simples demais que nem deveria ser dita de tão óbvia que é: a maior inimiga da produtividade é a interrupção. Portanto, vamos pensar com carinho antes de sair desfocando as pessoas por aí. Será que é preciso tanto email? Será que são necessárias tantas reuniões sem aviso prévio? Será que é preciso parar o que alguém está fazendo tantas vezes?