Caroline escreve mensalmente, sempre nas terças-feiras.
Que vazio é esse?

Todo mundo, em um momento ou outro, já sentiu aquela sensação de que algo está faltando. Surge aquele aperto no peito, uma incomodidade angustiante, que costumo compará-la a chegada em uma festa na qual você não conhece absolutamente ninguém e se sente completamente deslocado. Vejo muitas pessoas tentando preencher esse vazio através de bens materiais, porém, quanto mais se adquire, mais o vazio insiste em acompanhá-las. Para piorar, tem gente que tenta preenchê-lo com sensações e emoções vindas de outros lugares e de situações das quais não se tem nenhum controle.

Engana-se quem pensa que as coisas devem estar ruins para essa sensação aparecer. Muitas vezes, está tudo ocorrendo muito bem, a carreira em crescimento, a vida pessoal completa e lá está aquele vazio. Mas a verdade é que essa sensação tem o seu lado bom, pois sinaliza, se estamos atentos, a necessidade de que algo precisa mudar. Perceber e olhar para esse sentimento pode ser a saída para minimizar a influência negativa e o desconforto.

Percebam que usei a palavra “minimizar”, e não “desaparecer”. Por quê? Porque simplesmente não existe a vida perfeita, não existe a história do “viveram felizes para sempre”. Esse vazio, se equilibrado, é o responsável por nos manter em movimento, ou melhor, em contínua evolução. A redução de sua influência negativa está em tirar o foco do que esperam de você, para focar no que você espera de si próprio.

Se colocarmos nossas expectativas de felicidade e sucesso no externo, estaremos sempre oscilando, e a tendência é que o saldo seja mais negativo do que positivo. O “ter” nos leva à insatisfação muito rapidamente e reforça a sensação de vazio. O foco precisa ser em quem eu sou. A chave para que esse buraco possa trabalhar a seu favor é o autoconhecimento. Normalmente, em situações nas quais meus coachees apresentam esse desafio, recomendo que tenham em mente cinco perguntas:

1) Quem é você?
2) O que você quer?
3) O que você já conquistou até o momento?
4) Que histórias você quer contar?
5) Para onde você vai?

Pensar sobre essas respostas pode definir que tipo de vazio você está sentindo.

Enquanto você estiver centrado na ideia externa de que algo, alguém ou uma situação será capaz de remover esse vazio, ele continuará forte à procura da próxima ilusão a ser conquistada. Ter em mente a resposta das cinco perguntas é o guia para ajudar a equilibrá-lo, tornando-o o impulso que faltava para aquela mudança acontecer. Pois é essa voz interna que vai impulsionar você a buscar o sucesso, a se superar e a dar o máximo na conquista do que faz sentido em sua vida.