Tássia escreve a cada 15 dias, sempre nas sextas-feiras.
Você continua sendo o nerd da turma? Hora de ir pro fundão!

Você é aquela funcionária que veste a camisa da empresa, chega mais cedo e sai mais tarde, ajuda todos os colegas sempre que pedem, está sempre à disposição dos clientes e do chefe? Você é do tipo que nunca diz “não”? Vou lhe dar um conselho. Acredite em mim, é para o seu bem. Lá vai: não seja a pessoa que mais trabalha na empresa. Você não será reconhecida de forma justa por isso. E quando você falhar, você não será poupada. O seu prêmio por ser comprometida, responsável, engajada, ágil e disponível é apenas um: mais trabalho. Você não vai ser promovida (ainda mais se o mercado estiver em crise, gata). Você já viu o nerd da turma ficar com a garota mais bonita na vida real? Não! Porque os nerds nem sempre são recompensados. Sabe por quê? Porque eles não são espertos. E o mundo está cheio de espertos ricos e bem-sucedidos. E você (I’m sorry) não faz parte dessa classe.

Abrindo parênteses, não estou dizendo que você deva ser o oposto de tudo isso. Só que você não precisa se doar tanto para não receber nada em troca e se sentir frustrada com você e com a empresa (e não me venha com aquele papinho de “dar sem esperar nada em troca” e blá blá blá, Whyskas Sachê).

Eu aconselho isso com propriedade porque conheço inúmeros casos como esses pela estrada a fora, mas eu ainda não internalizei isso. Faça o que eu digo, não faça o que eu faço. Ainda sou a nerd da classe da frente que a professora só chama quando um aluno está com dificuldades de aprendizado e precisa de ajuda. Sou a nerd que passa cola e tem uma nota menor que a do colega que colou. Sou a nerd que sabe do seu potencial, mas anda de cabeça baixa e ombros caídos no meio dos imbecis populares, burros e puxa-sacos. Você quer ser como eu? Não! Agora que desmotivei você com meu exemplo, vou motivá-la com exemplos de pessoas que tenho raiva, mas que estão redondamente certas!

Imagine um cara que não abre mão dos seus horários do lanche, almoço e saída. E pode estar caindo o mundo na empresa que ele vai levantar, pedir licença e sair. O que ele está dizendo ao mundo? “Licença, eu sou minha maior prioridade”. Eu confesso que já senti raiva, porque ele nunca foi xingado. A questão é: ele impõe respeito. E ele é valorizado porque ele se dá o devido valor. Não sinto mais raiva dele, só de mim por não ser como ele.

Uma outra colega fazia assim, se o expediente acabasse e ela não tivesse terminado todas as pendências do dia, ela tranquilamente fechava o computador e dizia “amanhã termino”. E como ela conseguia fazer isso? Pensando: “Quantas pendências tenho na minha vida pessoal e deixo esperando para vir trabalhar? Vou fazer meu trabalho esperar também”. Sabedoria de outras vidas!

Aí tem um grupo que me consome de ódio. Esse grupo é aquele das pessoas que chegam no trabalho e demoram uma hora até começarem a trabalhar. Tomam um cafezinho, conversam com os colegas, abrem os emails pessoais, dão um look nas redes sociais. Depois, durante o dia, dão pausas para conversar mais um pouco (e perturbar com suas vozes as nerds chatas como eu), ver uns vídeos no You Tube ou amenidades na internet. E na hora de irem embora, mesmo tendo contabilizado umas 2hs a menos de trabalho considerando as pausas, batem o ponto e bye, bye. Sim, esse grupo me consome de ódio porque eu me sinto injustiçada. Por que, diabos, eu não tenho tempo livre nem para fazer xixi e elas conseguem rir e contar histórias? Sim, elas estão certas. Elas respiram, interagem, comem. Eu ainda estou no estágio robô.

E digo mais, para você, nerd como eu, cortar os pulsos. Essas pessoas que trabalham menos porque se respeitam... elas ganham mais que você! Bem mais. Você não pede aumento, você não reclama, você faz horas extras, você faz o trabalho de todas elas, você é a funcionária perfeita, afinal, vale muito e recebe pouco. Ou seja, você é a nerd que tem muito a aprender com a vida. Cuidado, a vingança dos nerds ainda não chegou e a galera do fundão ainda está no comando. Se você não pode vencer seu inimigo, junte-se a ele.