Demissão sempre é tenso

Nossa série especial desse mês vai tratar sobre um tema tenso. Sim, falar em demissão sempre gera desconforto, seja para quem é desligado, para quem pede demissão, para quem tem que desligar um profissional. Sair da zona de conforto sempre é difícil, mas é preciso fazer algumas reflexões sobre esses momentos diversos.

Para dar alguns caminhos, o Negócio Feminino conversou com a consultora de mercado da Produtive Carreira e Conexões com o Mercado.

Negócio Feminino: Por quais motivos a palavra demissão gera tanto desconforto - seja no empregador ou no empregado?

Fernanda Bitarello: A palavra demissão significa “dispensa dos serviços de pessoa no quadro de funcionários de uma empresa”, o que não desabona a conduta de nenhuma das partes, nem do empregador, nem do empregado. Para os profissionais que não tem o planejamento de sua carreira muito claro, torna-se um momento de dúvida e apreensão, pois não sabem como serão aceitos e absorvidos novamente no mercado de trabalho.

Do lado do empregador também é um momento de angústia, visto a decisão drástica que é ter que abrir mão do conhecimento e das relações estabelecidas pelo colaborador. A demissão, em via de regra, denuncia um processo de “fracasso”, algo que não se sustentou no tempo, e que exige um novo movimento de reflexão da empresa e do colaborador, por essa natureza tem um desconforto natural.

NF: Pedir demissão ou ser demitido é sempre uma situação tensa. Como os profissionais em geral lidam com isso?

FB: Para os profissionais que não estão preparados para o desligamento pode ser um momento bem tenso. Para estes, é necessário vivenciar o período de luto, entender qual é o seu papel no mercado atual para depois, mais fortalecidos, retornarem ao novo cenário de trabalho. Ter um apoio na reestruturação da carreira e nas perspectivas de trabalho futuro diminuem muito essa tensão, quem não tem essa preocupação e fica à espera de respostas espontâneas de mercado terá mais dificuldades em se adaptar a essa fase de vida.

NF: Qual a melhor postura na hora de pedir demissão?

FB: O melhor posicionamento é sempre sinalizar os motivos pelos quais está solicitando o desligamento. Ética profissional é essencial para manter as portas sempre abertas. Evitar denuncismos nessa hora também é importante.

NF: E no caso de ser demitido?

FB: Ser resiliente e tentar entender o motivo pelo qual está sendo desligado. É importante não causar nenhum tipo de discussão ou animosidade, pois a próxima empresa no qual irá atuar provavelmente irá pedir informações ao antigo empregador.

NF: Para o empregador, a situação também pode ser difícil - de demitir ou ouvir um pedido de demissão?

FB: Sim, em ambas situações este momento pode ser difícil. Apresentação do motivo da demissão pode não ser fácil quando feebacks anteriores não foram dados. Então, nestes casos, é importante mostrar apoio nas recomendações e suporte que o profissional necessitará da empresa que o demitiu. Junto ao pedido de demissão também vem a preocupação com a substituição deste profissional. A escolha assertiva neste momento é primordial.

Quando a situação de demissão acontece por questões de redução de custos, a situação pode ser ainda mais difícil para os gestores.  Vivenciamos recentemente o fechamento de uma unidade fabril no interior do Ceará, onde os gestores estavam muito preocupados com a equipe. Segundo eles, a equipe era excelente, com  profissionais diferenciados, e a principal preocupação era onde estes profissionais seriam realocados. O apoio da empresa e a assistência a estes profissionais fizeram toda a diferença no momento do desligamento.