Pais e filhos: como fica essa relação com o trabalho?

Especialista em psicologia organizacional, Thiana Pereira Duarte Demeneghi, abre a nossa Série Especial de agosto sobre ‘Filhos’. E o que toda essa relação da mulher com as questões familiares. Confira um bate-papo com a psicóloga que possui mais de 15 anos de experiência em gestão de RH em grandes empresas como ABRH e Grupo RBS.

Negócio Feminino - De que forma os filhos influenciam os pais enquanto estão no trabalho?

Thiana Pereira Duarte Demeneghi - Os filhos podem influenciar os pais no trabalho de diferentes formas. Uma delas é a busca de desafios contínuos para tornarem-se profissionais mais completos, diferenciados e também nas relações interpessoais, contribuindo com a serenidade, maturidade e responsabilidade que a experiência da “paternidade” provoca. Essa relação, que deve ser pautada por atitudes de apoio e interesse, também irá contribuir para o reflexo positivo no trabalho.

NF - Como administrar essa relação trabalho x filhos?

TD - Para administrar a relação de trabalho e filhos, que representa a maratona do dia a dia em que vivemos, é importante valorizar a qualidade dos momentos em família.

NF - As saídas antes do horário e ausências ao trabalho por doença do filho, por exemplo, influencia o trabalho? Como os gestores devem lidar com essas situações?

TD - O fato de ter filhos pequenos não significa que o funcionário irá se ausentar. Atualmente, os profissionais estão organizados com estruturas que proporcionam uma cobertura de suporte e assistência.  Saídas continuas e ausências, podem influenciar no resultado do trabalho individual e impactar também no grupo. Cada gestor e empresa possuem uma metodologia  para o desdobramento destas situações, onde normalmente são tratadas individualmente.

NF - O mercado de trabalho privilegia contratações masculinas por a mãe ter um envolvimento maior com os filhos?

TD - Na maioria das empresas o numero de colaboradores masculino ainda é superior, porém as mulheres já ocupam muitos espaços no mercado de trabalho. E a decisão por gênero não está diretamente associada ao seu papel de mãe e envolvimento com os filhos. Aliás, isto está cada vez mais no passado. Inclusive, as mulheres estão assumido em muitas famílias o papel de provedor.

NF - Qual a tua orientação para pais de primeira viagem?

TD - Para os pais de primeira viagem que reclamam da correria diária e o quanto isso acaba afetando no equilíbrio entre as atividades pessoais, profissionais e familiares, sugiro definir prioridades. Atenção: quantidade não esta relacionado com qualidade. O equilíbrio começa quando estabelecemos nossos objetivos e conciliamos com qualidade, e alcançar este objetivo deve ser a mola propulsora da nossa vida. Também aprender a dizer não. Afinal, a família é nossa maior fortuna e é de onde fluirá a nossa maior felicidade nesta existência.