Uma workaholic que ama a Comunicação e a Educação

Lá se vão 15 anos de experiência em comunicação organizacional. Nesse período, Ana Paula Megiolaro tornou-se mestre em Comunicação Social atuando como professora na graduação da UNIFIN e no MBA da UNISINOS.

À frente da Apmegiolaro Consultoria de Comunicação, promove palestras, workshops e treinamentos in-company em todo território nacional. Ana Paula nos conta um pouco sobre como tem orientado seus clientes me meio à crise que enfrentamos e como planejar 2016.


Negócio Feminino – Tu atuas como consultora em comunicação há 15 anos, como surgiu isso na tua vida?

Ana Paula Megiolaro - Trabalho com comunicação organizacional há 15 anos, mas o meu trabalho como consultora de comunicação surgiu em 2008 quando trabalhei, por dois anos, em uma Consultoria de Gestão e Negócios em Niterói, Rio de Janeiro. Sempre quando havia demandas viajava ou realizava com reuniões pelo Skype. Nessa época, a consultoria não era a minha atividade principal, a docência era. O que posso lhe dizer é que a minha vocação é tanto para a comunicação organizacional quanto para a docência.

Trabalhei em mais duas empresas oferecendo o meu trabalho como consultora, porém, todos divergiam do olhar que tenho sobre a comunicação empresarial. O que fez com que em maio do ano passado, o mercado conhecesse a Apmegiolaro Consultoria de Comunicação.

Negócio Feminino - Tu falas muito sobre criar na crise. De que forma isso é possível?

APM - Com a bagagem de leitura e experiências práticas que possuo, acredito que de 50 a 70% de algo errado acontecer na sua organização é por falha na estratégia ou falta dela. Isso porque muitas empresas não realizam um planejamento estratégico de comunicação. Nessa conta, então, restam de 50 a 30% de problemas externos, como, por exemplo, a crise econômica que está instalada no país.

Falo muito em criatividade, principalmente nesses períodos de turbulências políticas e instabilidades econômicas. Essas questões afetam diretamente as organizações, a sociedade em geral. Dessa forma, as empresas precisam compreender que a credibilidade e respeito são os pontos mais altos do relacionamento com o cliente.

Uma das ações, dentro do planejamento estratégico de comunicação de sua organização, deve ser priorizar a construção de um relacionamento sólido com o seu cliente. Nesse convívio, você poderá descobrir inúmeras oportunidades de negócios. E o resultado disso, aumentar a lucratividade e o faturamento da sua empresa. Portanto, vale a pena investir o seu tempo na revisão das estratégias, para inovar e vencer a crise atual.

Para as organizações que estão crescendo nesse período crítico, surge sim a oportunidade para reavaliar o seu plano, rever as suas estratégias e ações, para crescer ainda mais. A revisão e inovação são tarefas de todas as empresas, não apenas daquelas que estão passando por algumas dificuldades.

Negócio Feminino - Hoje percebemos um número crescente de mulheres empreendedoras. Essa atitude já é uma criação em meio à crise?

APM - Ser empreendedor em meio à crise independe do gênero. Acredito que a busca da independência financeira é a tendência do mercado como um todo.

Lógico, resgatando um pouco da história, a mulher sempre lutou por espaços iguais aos do homem na sociedade. Lembrando, por exemplo, que a conquista do voto feminino aconteceu apenas em 1932.  

Ainda vivenciamos muitas desigualdades de gênero no mundo dos negócios, mas tenho convicção de que essas injustiças diminuirão com as próximas gerações. Ainda há menos executivas do que executivos, mas a tendência é que o número de mulheres no mercado corporativo continue crescendo.  

Negócio Feminino - E para as mulheres que são executivas em uma empresa, como ter uma atitude preventiva e evitar até uma demissão?

APM - Atitude preventiva sempre, acomodação nunca! A minha orientação é que cuidem de sua imagem, para que tenham coerência nas suas ações tanto na sua vida pessoal quanto profissional. Vivemos na Era da Verdade, onde não é mais possível estarmos no anonimato em função das Redes Sociais. Mais uma vez, o relacionamento é o foco principal tanto das executivas quanto das organizações.

A presença das empresas nas redes sociais é um fato e, cada vez mais, há investigação de seus profissionais e candidatos a novas oportunidades, ou seja, nos seus comportamentos. Como falo no meu trabalho de educação corporativa, a boa expertise a gente forma, o bom caráter não!

Exemplificando o que acabei de dizer, cito as informações da Diretora de Empreendedorismo do Facebook na América Latina, Camila Fusco, quando esteve no Rio Grande do Sul, para um evento da rede e concedeu entrevista a um dos jornais da Capital: “todos os dias, mais de 2 mil páginas são criadas por empresas brasileiras, o que demonstra grande interesse dos empreendedores”.

Quando ao uso das redes sociais pelo mundo corporativo, destaco que o LinkedIn é a rede dedicada às relações profissionais e networking, única nesse perfil em termos de possibilidades nos negócios. Então, sugiro às mulheres executivas, que está citando nessa questão, que façam um perfil na rede e participem de grupos de discussão para apresentarem as suas expertises no mercado. Assim, elas serão valorizadas pela organização que atuam e ganharão ainda mais prestígio.

Negócio Feminino – Conta um pouco da tua vida pessoal e como administra com as atividades profissionais?

APM - Eu sou uma workaholic, um ser humano um pouquinho mais acelerado que a maioria das pessoas. A área da Comunicação contribuiu muito para esse pique, mas as responsáveis por isso de verdade são a minha avó e minha mãe. Quando era pequena, elas diziam que devia estar sempre estudando e quando tinha muitas tarefas para fazer a orientação era: comece todas, quando terminar uma, terminará todas. Eu tento, mas confesso que, muitas vezes, é impossível. As minhas amigas e meus amigos mais próximos ficam lembrando que não sou uma super mulher, apesar de muitas vezes querer ser!

Eu sou uma mulher pós-hiper-moderna, onde a realização profissional é tão fundamental quanto o convívio em família. Com planejamento e muitas estratégias, organizo o meu tempo para dar conta do trabalho, estudos, presença na família, convívio com os amigos e lazer.

Negócio Feminino - Para o futuro, tens planos?

APM - Sempre tenho planos e são muitos, tanto na minha vida pessoal quanto profissional! Um deles é continuar a minha missão com a comunicação organizacional, levando a compreensão de que comunicar-se adequadamente poder ser muito mais simples e fácil do que as empresas imaginam.

Negócio Feminino - Como se planejar para 2016?

APM - Bom, a primeira orientação é que façam uma revisão do planejamento realizado em 2015, avaliando quais objetivos foram alcançados e quais não obtiveram sucesso. Após isso, elabore os seus planos para o ano de 2016. A segunda é que o planejamento não deve ser feito para ficar na gaveta, ele deve ser revisto continuamente durante todo o ano, com o intuito de ajustar as estratégias para obter êxito nas ações projetadas.

Rapidinha:

Quem é Ana Paula? Uma workaholic que ama a Comunicação e a Educação!

Uma referência? Na verdade, são duas referências que tenho amor incondicional: a minha avó Nathalina e a sua filha, a minha mãe Daysi, exemplos de mulheres guerreiras!

Uma frase? “Ou você tem uma estratégia própria, ou então é parte da estratégia de alguém”, de Alvin Toffler.

Um livro ou um filme? Livro: “Ética e Vergonha na cara!”, de Clóvis de Barros Filho e Mário Sérgio Cortella.