Aldrey escreve a cada 15 dias, sempre nas quartas-feiras.
O Dólar e suas oscilações

A taxa de câmbio comercial é divulgada diariamente pelo Banco Central, o valor oscila durante o dia. O primeiro passo é sabermos a diferença entre dólar comercial e turismo. Aquele é o mostrado nos noticiários, usado para a realização de importação e exportação, além de movimentações financeiras do governo no exterior; e, o Dólar Turismo é o que compramos quando viajamos ao exterior.

Cabe salientar que existe também o conceito de dólar paralelo, o qual é o não-oficial, negociado por pessoas que não possuem autorização para realizar a venda de moedas, sendo dessa forma uma negociação ilícita.

A cotação do dólar é definida através de vários aspectos, como por exemplo, investimento estrangeiro no país e balança comercial. Quando existe um excesso de dólar na economia brasileira, o dólar tende a cair. Quando temos pouca oferta de dólar no mercado interno ele tende a subir; juros muito baixos e inflação muito alta afastam investidores estrangeiros elevando a cotação. Porém, o Banco Central costuma realizar intervenções para evitar a desvalorização/valorização da moeda quando é necessário.

Dólar alto é interessante para a produção nacional, turismo interno e exportações. Já o Dólar baixo é bom para comprar importados,  viagens ao exterior e redução da inflação, uma vez que a concorrência com os importados obriga as empresas nacionais que possuem produtos parecidos a reduzirem os preços.

Em agosto de 2013 o Banco Central começou o programa de intervenção para controlar a alta do dólar; foi a maior intervenção realizada desde a grande crise econômica mundial de 2008.

Em meados de dezembro de 2013, com o dólar já controlado, o Banco Central instituiu novas regras para a intervenção, realizando leilões de Swap (equivalente à venda de dólar futuro) de segunda a sexta em menor volume.  Em dezembro de 2014 o Banco Central anunciou que a intervenção será estendida até o final de março de 2015 em um volume ainda mais reduzido.

A recuperação econômica dos Estados Unidos – gerando um fortalecimento global do dólar, a possível elevação da taxa de juros pelo FED (Federal Reserve) – Banco Central Americano, a escolha do novo Presidente da Petrobrás, além da insegurança econômica no nosso país, são exemplos que contribuíram para a alta da moeda. No dia 10 de fevereiro de 2015 o Dólar Comercial bateu 2,83– a taxa mais alta dos últimos 10 anos, até essa data.

Para quem tem viagem agendada é interessante monitorar o câmbio e realizar a compra aos poucos, a cada oscilação favorável.