O pequeno gigante passo de Tânia Gomes

Ela tem 43 anos, é graduada em Administração pela FESP/PR e pós-graduada em Inteligência Competitiva pela PUC/PR. Mora em São Paulo (SP), é casada há 13 anos e criou a 33e34.com.br há sei anos, a primeira loja virtual do Brasil que atende a demanda reprimida de mulheres que buscam conforto e design para seus pés pequenos, com calce 33 e 34. A maioria dessas mulheres enfrenta a dificuldade de encontrar a numeração, sanada basicamente em departamentos infantis. Em busca desses pares, ela conta, em entrevista exclusiva ao Portal Negócio Feminino, a sua trajetória de sucesso. Tânia foi uma das palestrantes da 5a Feira Brasileira do Varejo (Febravar), que ocorreu, em julho de 2017, no BarraShoppingSul, em Porto Alegre (RS).

O embrião dessa start-up surgiu há seis anos e há dois que lançou o e-commerce. Foi na procura por um sapato prateado para uma festa de réveillon que se deparou com a ideia de criar o domínio 33e34.com.br. Passou o dia inteiro procurando o calçado, para no final comprá-lo em uma loja infantil. “Saí de lá muito frustrada. Chegando em casa, eu e meu marido tivemos a ideia de procurar um site que vendesse sapatos de numerações menores, até então ainda pensando apenas em resolver a minha própria situação. Não achamos nada na Internet. Na mesma hora, pensei que o meu problema podia ser o de mais pessoas e veio a ideia de registrar o domínio”, lembra Tânia. Seu sonho é ver uma loja física da 33e34 em cada cidade brasileira.

Convencimento do novo conceito
Entre os anos do surgimento da ideia e da abertura da sua loja virtual, Tânia viajou para fora do País, fez novos cursos e se aperfeiçoou em negócios digitais. Antes de lançar o e-commerce, apresentou a proposta às marcas de calçados. “Construir um negócio do zero, como fizemos aqui na 33e34, depende de uma série de variáveis: foi necessário conversar com cada marca, explicar nosso conceito e fazê-las ver que esse público também é muito importante e merece ser bem atendido. Além disso, sempre fomos muito comprometidas, trabalhamos com essas marcas com muito respeito”, explica a empreendedora.
A maioria das marcas foi muito generosa e entendeu o propósito, atendendo os pedidos com profissionalismo. “Tivemos duas marcas que se negaram a produzir sapatos somente nas numerações 33 e 34, mas temos tantas outras marcas maravilhosas no nosso portfólio.”

Investidores-anjos
Tânia recebeu três rounds de investidores-anjos ao longo dos dois anos em que está no mercado. “O primeiro investimento foi fundamental para compra de estoque, pois a indústria calçadista não financia as primeiras compras.” Ela conta que como start-up, o retorno do investimento não é uma métrica tão simples. “Para nós é muito mais importante nosso share de mercado e a construção de branding, do que o retorno do investimento. Nós já atingimos o breakeven, mas o retorno é todo reinvestido no negócio”, destaca.

Empreendedorismo
Mesmo com as dificuldades no início do seu projeto, Tânia sempre teve para si que empreender é uma maratona e não uma corrida de 100 metros. Ela explica que nos primeiros quilômetros você está descansada, com a energia alta, mas até aí, todo mundo que está ali também se sente assim. Você começa a se destacar depois da metade da corrida. “A partir dali a vontade de terminar, sua determinação é que te dão forças. Empreender também é assim. Um negócio tem pontos positivos e negativos o tempo todo. O importante é manter o foco nas soluções”, compara a gestora, que não desistiu de seu sonho.
O passo seguinte foi fazer o público saber que existiam e o apoio da imprensa e dos familiares dessas mulheres de calce 33 e 34 foram imprescindíveis para tornar o e-commerce referência nacional no segmento. “Nunca é fácil dar o primeiro passo. Para começar algo, você tem que acreditar mais do que todo mundo e se dedicar mais que a maioria. Um milhão de coisas passam pela sua cabeça, mas tudo isso precisa ser menor do que a sua vontade de construir um legado. Só assim a vontade vence o medo.” Para ela, não há sucesso consolidado, ele é uma consequência de fazer algo que você acredita, de maneira constante, continuada.

Rotina intensa
A 33e34 ocupa boa parte do seu tempo, pois participa de absolutamente todas as áreas da empresa. Também encaixa a sua rotina a eventos, palestras e mentorias sobre e-commerce de nicho, busca oportunidades de negócio, empreendedorismo feminino, entre outros temas. “Viajo o País todos os meses com essas agendas. Porém, procuro sempre reservar espaço para minhas corridas, família e projetos pessoais. É uma vida intensa e gratificante.”
Com tudo isso, ela não abre mão de se atualizar. “Pode ser durante um voo, às vezes, bebendo um café ou antes de dormir, mas preciso de um tempo para ler, refletir, buscar novidades. Depois do dia concluído, também não abro mão de dormir oito revigorantes horas por noite”, frisa Tânia.
Em tempos de empoderamento feminino, ela afirma que tem a convicção de que o gênero não define competência. “Não se deixe vitimizar por ser mulher. Seu nível de formação, suas experiências e sua vontade de trabalhar fazem de você uma empreendedora tão boa quanto qualquer homem. Por último, aprenda a fazer networking. É uma das coisas que nós, mulheres, não aprendemos a fazer desde cedo, mas que fará grande diferença para seu negócio”, indica a empresária.

Perspectivas e estratégias
Para os próximos anos, ainda há muitos novos caminhos para descobrir e explorar com a 33e34. “Estamos felizes com a aceitação da loja física, a 33e34 Experience. Esse é um dos canais que queremos explorar mais nos próximos anos.” Ela ainda tem muitos objetivos para a start-up, todos baseados no princípio da lean start-up, em que vão testar e ver como as coisas acontecem. “Temos isso a nosso favor: o fato de sermos uma start-up que pode testar muita coisa”, acrescenta.
E todo o trabalho é empreendido com muita ética. “Se o caminho não é ético, ele não deve ser um caminho. Essa é a regra mais importante que temos na 33e34.” Para ela, a preocupação é com a jornada do que com a chegada. “Quero ter qualidade de vida, fazer diferença positiva na vida das pessoas. Os resultados disso certamente me levarão a lugares incríveis.”

 

Por Grazi Sauer Branco/Foto Divulgação