Fernanda Rosito escreve nas segundas-feiras.
Difícil, mas necessária

Decisões são sempre difíceis. Mas, em muitas ocasiões são necessárias. Com ela, vem a dor de barriga, a incerteza, a dúvida, a insegurança e tantos outros sinônimos para uma pergunta bem simples: “Estou tomando a decisão certa?”.

Como diz a palestrante Semadar Marques, siga o teu coração. “Se ele está tranquilo, o caminho que escolheres será o acertado pra ti”, é uma das frases dela. Além de fofa (a Semadar. E a frase também), uma verdade. E foi isso que aconteceu comigo.

Na verdade, vou confessar uma coisa pra vocês. Os últimos dois meses (na verdade quase quatro meses) uma decisão rodeava minha cabeça e meus pensamentos estavam bem voltados a ela. Pensava, avaliava, ponderava, comparava. Era necessário tomar uma decisão, não importa qual fosse, porque todos os caminhos me levavam ao sucesso.

Até porque, o conceito de sucesso é beeeeemmmm amplo. Cada um tem um critério particular para caracterizar sucesso. Talvez exatamente por isso que a minha decisão foi bem difícil, meu conceito de sucesso mudou. Ou ainda está mudando.

Quando somos empreendedoras, definir rumos e objetivos principalmente em longo prazo não é uma tarefa tão simples. Principalmente quando não se têm sócios. Parece que os nossos ombros vão alargando a cada dia. É, é bem assim... É preciso força, determinação e coragem. Sempre. E, acima de tudo, mudar a cada dia.

Nessa mudança também estão as decisões. A parte boa é que, quando definido o novo caminho, aquele peso dos ombros vai embora rapidinho. Ai, tu te sente tão leve, tão bem, que o teu coração responde facilmente aquela perguntinha lá do início deste artigo. “Sim, tomei a decisão certa”.