Fernanda Rosito escreve nas segundas-feiras.
E por falar em mudança...

Tenho falado muito nesse tema, talvez porque esteja vivendo várias mudanças. 2015 te sido um ano de mudança. O bom é que todas tem sido para melhor – pena que, quando estamos no meio do furacão, não percebemos isso...

No meu último artigo (ou primeiro...) falei sobre as mudanças do Negócio Feminino. Hoje, quero contar rapidamente sobre a FR, que conduzo há cinco anos. Comecei sozinha, em casa. Mas rapidamente cresci e montei uma sala com uma equipe enxuta. E depois outra e outra. Pra quem me conhece sabe o quanto eu gosto de mudar. Acredito no movimento das energias. E acreditem, muitas vezes, troco a posição do computador na minha bancada de trabalho. E conforta e sinto que estou em movimento.

Enfim... Sobre a FR, sentia que a mudança era necessária. Até porque buscava mais qualidade de vida. 2014 foi um super ano. Super mesmo. Encerramos com 30 clientes atendidos. Mas também foi extremamente corrido e desgastante. Como tudo na vida há a parte boa e a nem tão boa. Mas queria um 2015 diferente. Precisava de um 2015 diferente.

Bom, já na virada do ano, muitas reflexões começaram a surgir na minha cabeça. É isso que eu quero? Eu preciso disso? O que me deixaria mais feliz? Perguntas, perguntas e mais perguntas. Mas, nenhuma resposta...

Conversava com muitas pessoas, ouvia coisas interessantes. Histórias de vida semelhante à minha, outras nem tanto. Foram cerca de seis meses sofridos. De dúvidas. De noites mal dormidas e outras em claro. Eu buscava respostas às perguntas que fazia a mim. E não encontrava tão facilmente, então eu sofria.

Até que aos poucos eu fui percebendo que tinha dois caminhos. E que os dois seriam boas escolhas. O que eu precisava descobrir era exatamente qual caminho eu queria. Essa era a descoberta mais difícil que eu tomaria na minha vida profissional. Quem já passou por isso sabe bem o quanto foi dolorido. E quem está passando sabe ainda mais.

Mas aos poucos eu fui percebendo e respondendo pergunta a pergunta. Uma a uma. Até que as respostas ficaram claras. Transparentes e pude perceber facilmente qual destino eu tomaria.

Agora, em especial escrevendo esse artigo, percebo o quanto minha angustia foi em vão, pois a escolha era simples. Mas foi preciso passar por aquele momento, era inevitável.

Bem, com a mudança, fiz um reposicionamento da minha empresa, que sempre levou meu nome e que havia ‘abreviado’ para FR. Mudei marca e segmentei ainda mais meu público.

Agora, a Fernanda Rosito Press carrega a cor azul e uma imagem clean e simples, definindo apenas ‘só o que é importante’ para os clientes. 

E foi tão bom mudar.

Muda você também.