Rosangela escreve a cada 15 dias, sempre nas quintas-feiras.
Fortes emoções

Quinzenalmente vamos conversar sobre a importância dos cuidados da saúde emocional e física no trabalho. Sou psicóloga clínica há mais de 10 anos e nesse tempo convivo com as mais diversas situações de estresse, causadas, por exemplo, por pressão, assédio moral e sexual, dúvidas, problemas familiares e financeiros, insegurança, instabilidade, entre outras tantas adversidades que a vida apresenta para qualquer um.

Esse tipo de problema, por ser emocional, pode parecer bobagem aos olhos de quem está de fora do contexto ou de familiares, amigos, colegas, que convivem no dia a dia com o sujeito “doente” (sim, por mais forte que a expressão pareça, muitos desses problemas são realmente uma doença).

Conviver com esses pacientes no dia a dia me possibilitou uma melhor compreensão sobre o trabalho deles, o que fazem, como enxergam, como vivem, seus sofrimentos, suas angústias, seus sonhos, suas conquistas. E toda essa experiência me proporcionou muito mais. Confirmou o que por muito tempo estudei e vivi: doenças emocionais têm tratamento, e seus efeitos podem ser minimizados, compreendidos e até superados, porque não?

Engana-se quem pensa que a gama de problemas emocionais, causados pelos ambientes profissionais, é pequena. Errado. Eles podem surgir, permanecer ou terminar em diversos cenários, por diversas causas e ter diversas consequências. Por isso, a nossa conversa, a partir de hoje, terá como objetivo principal – pois podem surgir outros – esclarecer e tornar de conhecimento público o que o trabalho pode causar quando mal conduzido, tanto pelo empregado, quanto pelo empregador.

É importante que todas vocês percebam que minha intenção passa longe de dar uma aula de psicologia clínica. O que realmente desejo é mostrar o quanto as nossas emoções podem mexer com toda a vida que nos rodeia, bem como com nossas ações, prazeres e desejos. Mas sem desespero, mulheres, pois, como disse acima, repito: tudo é passível de tratamento, basta conhecer o problema e buscar a ajuda adequada.

Até breve!