Fernanda Rosito escreve nas segundas-feiras.
Mil mulheres em uma só

Para quem já viveu a experiência de ter um (ou mais) filho(s) é mais fácil entender o título da coluna de hoje. Nossa série especial de maio vai tratar, nessa semana, sobre os aspectos que envolvem conciliar carreira e maternidade. Bem, para entrevista, convidamos uma mulher que passou duas vezes pelo desafio acima. Na primeira experiência, Mariana Christofoli teve o Alexandre, hoje um adolescente. Aos 16 anos, ela ainda não estava no mercado de trabalho e suas responsabilidades eram infinitamente menores que as de hoje. Veio logo o amadurecimento, as realidades de mãe, as dúvidas, as felicidades, etc.

Passados mais de 10 anos, Mariana teve outro filho, o Arthur. A diferença é que, dessa vez, já tinha uma profissão, uma carreira sendo trilhada e um cargo que sempre exigiu muito tempo e dedicação dela. Ou seja, foram momentos, contextos, realidades diferentes e é justamente sobre esses cenários distintos que ela nos contou mais detalhes. A psicopedagoga, que atua como supervisora acadêmica, tem convicções quanto à criação dos pequenos e ao tempo em que se foca em cada uma das funções, seja mãe, profissional, amiga, etc. Ou seja, Mariana é uma das tantas mulheres consideradas muitas em uma só.

Para ela, com boa organização, é possível executar todos esses papéis com intensidade, pois o tempo que será destinado a cada um deve ser de qualidade e verdadeiro. Seja para almoçar com o filho mais velha, para participar do mundo lúdico do mais novo, seja para cumprir com suas responsabilidades no trabalho, sair com as amigas ou, ainda, malhar e cuidar também de si mesma. “Não acredito muito em receitas., ‘Como fazer isso’, ‘Como fazer aquilo’. Acredito que é preciso se adaptar e encontrar meios de saber a medida das coisas”, afirma.

Quer saber mais sobre esses dois momentos diferentes da maternidade para Mariana? Então, acessa a entrevista completa, pois vale a pena! Até semana que vem!