Alessandra escreve quinzenalmente.
Nossa vida depois dos Pets, você já experimentou ter um filho de quatro patinhas?

 

A Yuky chegou na nossa vida pelas mãos de um pedido da psicóloga do meu filho a cinco anos atrás, que na época, me pediu que eu tivesse um cachorro, que no caso teria que ser filhote, para desenvolver nele sentimentos calmos, doces e ternos que ele tinha lá dentro dele mas não trazia a tona, neguei, tentei saber o porque e ela foi taxativa:
-O problema é tal e o cachorrinho vai ajudar em um mês o que eu precisaria de dez anos de terapia. Acatei, afinal, pelo Leo eu faço qualquer coisa para deixá-lo feliz e físico e mentalmente saudável.

Ou seja, eles fazem milagres, e assim foi. Objetivo atingido em menos de um mês conforme ela me passou, mas porque?

Eu confesso que não fui criada com sentimentos lindos pelos animais, sempre respeitei, tinha pena de maus tratos mas nem perto do que sinto hoje, do que a minha “filha” desenvolveu em mim durante este pouco tempo de convivência, a ponto de estar com alimentação Vegana  feliz da vida a quase um mês. Não, eu não estou escrevendo este texto para te convencer a isso, de forma nenhuma, mas para te dizer de que a fala de uns dos pediatras que mais respeito é:  O melhor anti depressivo que existe é um cachorro. E não é só isso.

Estes seres iluminados tem capacidades extraordinárias de liberar oxitocina (hormônio do Amor) em nós humanos, um dos hormônios  responsável pelo bem estar (uma das mais recentes pesquisas científicas comprovaram isso) , tem um vínculo de enlace igual a pais e filhos e eu acredito mesmo nisso, a gente humaniza os pets e eles idem, nos fazem pessoas melhores, mais responsáveis, organizados, inteiros, nos sentimos amados, cuidados e solidão é uma palavra que não existe quando temois eles na nossa vida.

Se você procura sensibilidade, percepção na alma, se sente necessidade de transformar sua forma de ver a vida através do amor e da condução delicada da vida, te sugiro um amigo, filho chame do que lhe convir, mas aprenda com 100% de retorno amoroso e incondicional de um cão. Traga ele para tua vida, sem preconceitos, sem pudores, sem reservas, só deixe ele fazer o que ele sabe e você retribua em igual medida. Verás que tens seres de luz ao teu lado.

A  sete meses nossa família aumentou, a Bella ( Bellis, Bebéu, Belinha, ela tem vários apelidos) chegou na nossa casa meio que no susto,  abandonada em um lixão em São Francisco de Paula, fora da cidade, após o tornado que teve lá ,grávida (descobrimos um mês depois), faminta, com doença de pele grave, assustada, querida, meiga, doce e nos escolheu, onde seria um LT (lar de Temporário) ficará para sempre. Pensa em amor, em cuidado carinho e troca em igual medida. É assim, sem contar que para a Yuky foi o melhor presente, mesmo que com dificuldades de adaptação no inicio, hoje são inseparáveis.

Nunca mais compro Amor, compro um cachorro,  a Yuky veio de um canil e agora entendo o que na época a mulher me dizia e tentava me mostrar, de que lá era tudo “muito natural” e de eles tinham criação,  mas que diferença isso faz? É escravidão igual destes animais que só estão ali para gerar lucro. Deveria ter Leis que proibissem estes canis e eu agora luto para isso como posso, alertando as pessoas para garantir que o amor não está na raça, mas em cada olhar deles para gente, onde após eu fiquei sabendo o que é a realidade destes anjos que só servem para procriar, são chamados de matrizes, e neste país, mesmo onde diz ser certificado, nem preciso dizer que não tem fiscalização e que de que a crueldade acontece.

Adote, se não tens paciência com um bebê cãozinho que dá muito trabalho, adote um adulto, como fiz, foi extremamente tranqüilo e seguro. 

Traga para sua vida um amor sem igual e nunca mais a sua rotina será a mesma, como a minha agora tem mais sentido ainda.